Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um quarto para duas

Um blog, duas raparigas, um amor.

Um quarto para duas

Um blog, duas raparigas, um amor.

30
Set10

Cansaço

ana
Estou exausta! Só tive uma aula, mas sinto-me incrivelmente cansada. Dói-me a cabeça (algo me diz que vem aí enxaqueca) e apetece-me ficar deitada sem fazer nada.
Quem me dera estar contigo amor. Ficava bem abraçadinha a ti a descansar. Tenho saudades tuas.


Amo-te muito
29
Set10

Auto-aceitação, ninguém disse que era fácil

ana
A minha vida mudou no dia em que a conheci. Mudou para melhor, conheci um novo equilíbrio, conheci uma nova maneira de ser e de estar que em mim desconhecia, conheci o verdadeiro amor. A minha vida mudou no dia em que comecei a aceitar-me. A minha vida mudou no dia em que disse: Sou Lésbica!
Penso que sempre soube! Nunca me senti igual às meninas da minha idade, da minha escola, da minha rua. Em criança tudo era normal e as brincadeiras eram comuns a todos. Na adolescência é que tudo mudou. Comecei a crescer e a sentir que os meus interesses não eram iguais aos das raparigas com quem convivia, não ligava aos namoros nem às curtes, não ansiava pelo primeiro beijo, não me sentia atraída pelo mundo dos rapazes. Olhava para as raparigas com curiosidade, gostava de observar os corpos, apreciar as curvas e contornos, olhava-as e sentia algo que não percebia. Sentia-me nervosa com a presença de algumas amigas.
Tentei esquecer, era apenas uma menina confusa, não queria destacar-me pela diferença, que nessa idade pode ser cruel. Namorei com rapazes. Namoros à distancia, sem contacto físico, sem confiança, sem amor ou paixão. Namorei com rapazes numa tentativa falhada de ser igual ou de tentar mudar o meu real interesse.
Um dia, conheci-a. Soube quando a olhei nos olhos que mexia comigo. Era ela. Pela primeira vez senti a verdadeira atracção, a verdadeira paixão e o verdadeiro desejo de ter alguém. Fui obrigada a deixar-me levar, era demasiado forte para fugir. Ela, fazia-me rir e fazia-me sentir segura. A sua presença causava-me "borboletas" na barriga, sentia-me bem. Estava a viver a mil, emoções que jamais tinha sentido emergiam a cada segundo. Estava feliz e deixei-me ir. Fui sem medo e dei o salto!
O namoro começou bem. O entusiasmo inicial e a paixão da primeira vez fazia-me sentir única. Pela primeira vez senti emoção num beijo, senti o desejo que o segue, senti a atracção sexual.
Fomos descubrindo tudo a duas. Era tudo novo para ambas, era um mundo mágico que há muito procurava. A relação era perfeita, completávamo-nos, compreendiamo-nos e respeitávamo-nos. Apesar de tudo, nunca pensei que fosse durar. Continuava a achar que eu não era aquela pessoa, que era uma fase, um erro, um distúrbio de personalidade que iria desaparecer com o tempo. Mesmo assim não consegui voltar atrás. Estava presa àquela pessoa, o que sentíamos uma pela outra era demasiado forte para desistir e eu estava feliz, pela primeira vez na vida estava feliz.
Dei o primeiro passo na minha auto-aceitação no dia em que tive coragem de contar a uma amiga que eu e a Rita namorávamos. Nesse dia aceitei-me como era, decidi que não podia esconder porque não era uma fase. A partir dai um longo processo de auto-conhecimento iniciou-se. Comecei a juntar peças do puzzle da minha vida, cheguei às conclusões que em cima descrevi, que afinal sempre fora assim, que durante muito tempo me tentara enganar, que fugi da minha essencia.
Hoje aceito-me. Não escondo a minha homossexualidade, não fujo dos meus sentimentos. A Rita foi a pessoa que me ajudou a descobrir. Foi com ela que dei o salto, foi de mãos dadas que fomos descobrindo aquilo que somos. Falta-me ainda dar o salto maior, o derradeiro passo para a minha total liberdade, falta-me ter coragem para contar aos meus pais. Não sei quando vou estar preparada, porque o medo de não ser aceite é muito, afinal se para mim não foi fácil, para eles também não será.
28
Set10

Saudade

ana
Tenho saudades de estar contigo de te ter ao meu lado...

Às vezes lembro-me das tardes que passávamos as duas em minha casa, deitadas no sofá a namorar, a conversar, a rir, a fazer amor toda a tarde... Tenho saudades de quando podíamos estar só nós duas... Tenho saudades daquelas manhãs em que planeávamos faltar as aulas para ficarmos a namorar, e depois apanhar o autocarro que por sorte nunca perdíamos!

Tenho saudades de beijar o teu pescoço, os teus lábios fofos e suaves, tenho saudades de te abraçar por trás, assim como tu gostas, de te falar ao ouvido mas não muito perto porque sei que te faz impressão, até de fazer-te massagens eu tenho saudades, ainda por cima chateias-me tanto para as fazer! Mas eu adoro!

Tenho saudades da tua voz, do teu olhar apaixonado, das tuas mãos fofas...
Quero e preciso de te sentir, de te abraçar, de saber que estas a meu lado. Sinto-me bem e protegida contigo a meu lado...
Fazes-me bem... Fazes-me falta!

Amo-te muito!!

(como podes ver, meti os traçinhos nas palavras, lol)
28
Set10

Fui uma parva!

ana
O dia de hoje foi cansativo. Acordar muito cedo, aulas até tarde e pouco tempo para descansar. Para ajudar acordei de mau humor, triste e desmotivada. Descarreguei na Rita. Por isso, e agora que me acalmei, vejo que fui injusta e intolerante e ela não merecia, só queria ajudar!
Desculpa meu amor, desculpa as minhas crises e os meus momentos menos bons. Desculpa ficar assim no nosso dia. Amo-te muito, mereces todo o meu amor e paciência, toda a minha dedicação e amizade e todo o meu respeito e carinho. Quero-nos bem. Quero-te bem. Quero muito, e preciso, de estar contigo. As saudades já são muitas.

Amo-te linda
28
Set10

Hoje...

ana
Fazemos 4anos e 6meses de namoro... e estamos amuadas uma com a outra!
Apenas queria que tu estivesses bem, e tu interpretaste isso como se eu não quisesse estar contigo! Mas é apenas um amuo... não tarda nada já vais estar a falar bem comigo e a dizer coisas bonitas!!!(como eu te conheço amor)

Sabes que te amo... e amo-te como és, sabes bem disso!

Desculpa linda...
Tenho muitas saudades tuas e quero que estejamos bem uma com a outra!...

Pág. 1/9