Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um quarto para duas

Um blog, duas raparigas, um amor.

Um quarto para duas

Um blog, duas raparigas, um amor.

20
Jun11

Segunda-feira, nunca gostei de ti

ana
Se o meu dia podia ter sido pior? Não, não podia.
Horrível é a palavra que me ocorre para o descrever.
Sai de casa cedo, nervosa com uma frequência marcada para as 17horas. Tive aulas das 9 às 13, uma seca, um martírio  Tinha visita de estudo ao atelier da Joana Vasconcelos, não pude ir, o horário era incompatível com a frequência  Quem foi, diz que foi a visita do ano, para lá de espectacular, guiada pela própria artista. Na frequência sairam as coisas mais incríveis, que ninguém imaginava, que ninguém sabia o que eram. Correu mal e estou danada comigo. E estudei, estudei muito até. E se calhar (muito possívelmente) vou chumbar. Odeio o professor, odeio o gozo que lhe dá fazer frequências inacessíveis. Por pouco não morri (pronto se calhar estou a exagerar, ficava só paralisada para o resto da vida) quando quase cai de costas numas escadas da faculdade. A linha azul estava com problemas. Fiquei parada, de luzes apagadas, num calor que não se aguentava, no túnel do metro. Cheguei a casa já passava das 8. Dói-me as pernas e os pés, porque calcei sandálias pela primeira vez este ano. Estou cansada, tive um dia esgotante cheio de nervosismo (por mim e pela Rita), de stresses e de azares (se é que isso existe).
Sabem que mais? Eu hoje nem devia ter saído de casa.


Pág. 1/3