Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um quarto para duas

Um blog, duas raparigas, um amor.

Um quarto para duas

Um blog, duas raparigas, um amor.

31
Jul11

Ontem calcei as sapatilhas

ana
Sete quilómetros a pé. Era noite e fomos guiados pela luz das lanternas. Por caminhos da aldeia, que eu desconhecia,  onde o alcatrão é ainda uma matéria desconhecida. E cheirava tão bem, alecrim, rosmaninho, tomilho e eucalipto. Vimos vinha, campos cultivados, árvores de fruto. Ao fundo a lua, depois a encosta da Serra, que vista dali me pareceu ainda maior.
Foi bonito. Éramos perto de 100 pessoas, todas aqui da aldeia.
Eu, que raramente participo nestas actividades, gostei bastante.
Só um ponto negativo. O pó. Era tanto que fez com que passasse a noite a tossir. De resto, é para repetir.
27
Jul11

Ar, quente, por favor.

ana
Faltam sete horas para rumar ao Algarve e, em vez de estar a dormir, luto contra uma tosse que não da tréguas e me dificulta a respiração.
Vamos lá ver se o ar quente do Sul me faz melhor aos pulmões, é que o ar fresco da Serra pelos vistos não funciona.
Sábado conto-vos se o Algarve me purificou as vias respiratórias, e a mente, que também precisa de ficar mais liberta de maus pensamentos.
P.S.: alguém me sabe dizer se é possivel, com 20 anos, desenvolver uma qualquer doença do foro respiratório, tipo asma e essas maleitas (ai como eu gosto desta palavra) assim, sem mais nem menos? Ou se uma rinite pode evoluir para algo muito pior?
É que já é a segunda vez que isto me acontece este ano. E eu nunca fui menina de muita tosse ou dificuldade em respirar.
25
Jul11

Desabafo

ana
Às vezes a vida desilude-me. Sim, a vida às vezes parece-me errada, contradiz-me e deixa-me à toa. E eu não sei que fazer.
Os meus planos nunca deram certo, não sei porquê, fogem-me entre os dedos e desvanecem. E se ao menos os nossos planos estivessem em sintonia. Se o que quero fosse o mesmo que tu, se aquilo em que acredito tu acreditasses comigo.
E o que sonho para ti. Ai, o que sonho para ti nunca corresponde aos teus sonhos ou às tuas prioridades. Quem me dera que pensasses em ti, antes de pensares nos outros e na sua felicidade. Quem me dera que percebesses que ninguém, das pessoas a quem desejas tanto bem, respeita(rá) as tuas decisões, que ninguém te apoia e incentiva a dar o passo para uma nova fase.
Eu só queria que acreditasses em ti e te pusesses em primeiro plano.
Voltando a mim e a esta minha inconsistência. Às vezes não me entendo, nem entendo aquilo que sinto. Se um dia acho que tenho o mundo nas mãos, no outros sinto que sou completamente impotente.
Mas o que eu queria mesmo era que fosses feliz, que tomasses o teu rumo, sem olhar para o lado. Que agarrasses as oportunidades e sonhasses, como eu sonho, com uma vida bem melhor.

Pág. 1/4