Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um quarto para duas

Um blog, duas raparigas, um amor.

Um quarto para duas

Um blog, duas raparigas, um amor.

31
Out11

...

ana
Sei de cor

Cada traço do teu rosto, do teu olhar
Cada sombra da tua voz e cada silêncio,
Cada gesto que tu faças,
Meu amor sei-te de cor

Sei cada capricho teu e o que não dizes
Ou preferes calar, deixa-me adivinhar
Não digas que o louco sou eu
Se for tanto melhor
Amor sei-te de cor

Sei porque becos te escondes,
Sei ao pormenor o teu melhor e o pior
Sei de ti mais do que queria
Numa palavra diria
Sei-te de cor.

Sei cada capricho teu e o que não dizes
Ou preferes calar, deixa-me adivinhar
Não digas que o louco sou eu
Se for tanto melhor
Amor sei-te de cor

Sei de cor cada traço do teu rosto, do teu olhar
Cada sombra da tua voz e cada silêncio,
Cada gesto que tu faças
Meu amor sei-te de cor


Paulo Gonzo
27
Out11

Já estou em modo fim-de-semana

ana
O dia de amanhã é desgastante, muitas aulas, das oito às dezoito e uns assuntos burocráticos [que estou ansiosa] para tratar. Apesar disso já só penso no fim-de-semana prolongado, cinco dias de férias que vêm mesmo a calhar. Dias para namorar com a menina e [com muita pena minha] para acabar trabalhos e estudar. Pelo meio, o meu aniversario, em dia feriado, e os preparativos para a mudança de casa.
Dias cheios que vou ter. 

Bom fim-de-semana minha gente.
26
Out11

Em dia de [muita] chuva, [muita] arte

ana
Fui à Gulbenkian ver a segunda parte da exposição A perspectiva das coisas - A Natureza-Morta na Europa.
Numa palavra - Excelente. Recomendo.
Claro que depois aproveitei para visitar o museu. Não me canso da colecção Lalique, saio de lá extasiada com o pormenor de cada jóia.
Se o tempo continuar assim (muito provável) aproveitem e incluam uma ida à Gulbenkian nos planos do fim-de-semana. Com um bocadinho de sorte, se a chuva parar, podem ainda aproveitar para namorar e passear no jardim.
24
Out11

Cultivar o amor

ana
Só lhe damos real valor quando sentimos que o podemos perder. O amor deixa-nos confortáveis, demasiado relaxadas, por vezes. O [nosso] amor não pode ser encarado como uma garantia, é preciso lutar por ele.
Percebi isso esta semana, quando nos vi magoadas com o rumo que estávamos a tomar. Sabíamos, ambas, que agíamos mal, já há demasiado tempo. Tu e eu, que tanto nos adoramos e respeitamos estávamos a esquecer que o amor não cresce por si só, é preciso entrega e dedicação.
Nós estamos a corrigir erros e vícios causados pela distância, é preciso desconstruir rotinas enganadoras e criar novas formas de expressão. Estamos a fazer crescer o amor, de novo. 
Amo-te, nunca fez tanto sentido como agora. 
24
Out11

Cultivar a felicidade

ana
Hoje é um daqueles dias em que sinto necessidade de ser optimista em vez de fatalista. É o dia constatação da felicidade, da renegação da depressão.
Hoje quero deixar para trás aquilo que tanto me faz sofrer, aquilo que considero injusto para nós. Os nossos "azares", os nossos contratempos, a nossa distância. Não quero, nem posso, pensar nisso hoje.
Prometi que ia ser mais descontraída, mais liberta das más energias. Prometi e vou cumprir.
Hoje só penso na sorte que tenho. A minha namorada é a melhor do mundo, tenho a certeza disso. Não que as vossas não sejam boas, mais simpáticas ou bonitas que a minha, isso eu não discuto, mas a Rita é a ideal para mim. Ela completa-me e faz-me feliz. Faz-me tão feliz e eu nem sempre penso nisso.
23
Out11

...

ana
Só quero que esta semana passe a correr. Já vejo aproximarem-se as minhas mini férias tão merecidas e essenciais para matar saudades da minha menina e meter as leituras e trabalhos em dia. 
Vão correr melhor estes dias. O jantar romântico de ontem e a conversa posta em dia souberam-me melhor do que nunca, deram-me força para aguentar mais uma semana de distância. Fazes-me sempre tão bem, fazes-me sempre sorrir e fazes-me sempre feliz. 
E para a semana já faço 21 anos, tão crescida que eu já sou! 
Ah, e o Outono, finalmente, chegou ao país. Podia ter começado de forma mais suave, porque esta chuva toda apanhou-me desprevenida, mas não faz mal. Gosto do Outono assim. Sexta-feira, quando chegar a casa, lá na minha aldeia perdida na serra, já vou ter (provavelmente) a lareira acesa e aquele calor que nos aquece o corpo e mente. Que bom.
Boa semana para tod@s. 

Pág. 1/6