Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um quarto para duas

Um blog, duas raparigas, um amor.

Um quarto para duas

Um blog, duas raparigas, um amor.

30
Mar12

Sexta-feira

ana
Oh que dia. Chuva e tempo cinzentão, calçada escorregadia, carros que nos molham e, para juntar à festa, extracção de dois pré-molares. Um dia maravilhoso, portanto.
Não custaram nada as extracções, foi rápido, nem senti. Mas, depois, quando tudo o que eu queria era vir embora, ainda faltava voltar a montar o aparelho e pôr a barra palatina. Mais uns minutos com a boca aberta, mais "ferramentas" dentro da boca. Estava farta.
E pronto cá estou. Tenho menos dois dentes e um dia estragado.

Bom fim-de-semana
26
Mar12

Querida mudei o blog

ana
Andamos em remodelações. Por agora fica assim (porque já estou farta de mudar fundo, pôr cor, trocar imagem, ver tamanho da letra e nada ficar bem), mas é possível, e muito provável, que venha a sofrer mais alterações. Aceitam-se sugestões, porque criatividade é coisa que hoje não abunda por aqui.
25
Mar12

Gatinhos

ana
Dona Flora Maria deu à luz este fim-de-semana. A primeira ninhada da minha gata pirosa e fofa. Ainda não sei ao certo quantos são, mas os que vi são branquinhos como ela. Lindos.
Como gata cuidadosa que é, achou que o sitio que arranjou para eles não era o melhor e mais seguro e, sem demoras, decidiu mudá-los para a garagem da vizinha, e escondeu-os bem escondidos, atrás de uns moveis e de umas caixas. Local altamente inacessível, que faz com que eu e a minha grande curiosidade, tenhamos de esperar para ver de perto os novos bichanos.
Mas, na minha opinião, Dona Flora não pensou bem nas coisas. É que vai ter de abdicar da sua liberdade, do ar livre, dos campos verdes que adora, para ficar fechada numa garagem. Sim, porque a garagem não pode estar aberta enquanto as pessoas vão trabalhar. Foi uma grande trapalhada o dia de hoje. Pensar na logística da situação, pensar no que era melhor para nós e para a gata. A solução que nos pareceu mais certa foi mudar os bens (caixa de areia, tigela da comida, da água e latas de comida) da madame para a garagem e a minha mãe ficar com uma chave, para na hora de almoço ver se está tudo bem e deixar a gata ver a luz do dia.
Vamos lá ver como corre esta semana. Espero que Dona Flora não se esqueça que é mãe e não saia para a rua, sem ninguém se aperceber, e depois fique cá fora sem poder entrar até alguém lhe abrir a porta.
Espero mesmo que tudo corra bem e espero, em breve, poder ver os gatinhos, que devem ser mesmo amorosos e lindos.

P.S.: A vizinha é minha tia. Está tudo em família e a gata está habituada a ela. Adora-a, porque ela lhe dá Whiskas saquetas e lhe faz festinhas na cabeça tal como ela gosta.
21
Mar12

Refresh

ana
Ando cansada, assim mesmo próxima da exaustão e, por isso [e por muito mais], não me tem apetecido escrever aqui.
Tive a primeira frequência esta semana e estava nervosíssima, porque meti na cabeça que ia chumbar, e se calhar até vou. Ainda não me habituei, e nunca me vou habituar, a este horário madrugador, que me impede de manter os olhos realmente abertos.
Desliguei, quase por completo, do que me rodeia para me concentrar em mim e naquilo que me preocupa. Os pensamentos andam a mil. Faço e refaço planos, ponho possibilidades em cima da mesa e avalio probabilidades. Enfim, simulo mentalmente o futuro. Quero que esteja tudo certinho, confesso que sou obcecada com pormenores futuros.
A próxima semana, já me causa um nervoso miudinho. A primavera chegou e com ela o nosso aniversário. Seis anos de nós enchem-nos o coração. Para dia vinte e oito, o mais belo de todo o ano, temos direito a noite romântica, conquistada com muito esforço pela Rita, que se viu grega para vencer as minhas paranóias e medo de fugir à normalidade.
Depois, e porque nem tudo pode ser um mar de rosas, tortura no dentista, com a extracção de dois pré-molares, para os outros dentes irem ao sitio. Esta busca pelo sorriso perfeito tem estes desafios, põe-me à prova e obriga-me a vencer medos [arrancar dentes é o meu maior pesadelo].
E é isto. É o que vai acontecendo e o que vai acontecer. É este misto de sentimentos que tem sido a minha vida. E, é este nosso grande amor, que me faz olhar para tudo o resto e relativizar e que me mostra que todos os dias [porque te tenho] valem a pena.
19
Mar12

Filmes Lés - Imagine me & you

ana

Tudo começa com o casamento de Rachel (Piper Perabo) e Heck (Matthew Goode). Quando Rachel entra na igreja vê por momentos Luce (Lena Headey), a florista do seu casamento, e lésbica assumida. Este é o momento em que Rachel se apaixona, mas não pelo seu noivo. A partir daí instala-se uma confusão de sentimentos e incertezas de Rachel em relação ao amor.
11
Mar12

Aviso: Texto altamente deprimente*

ana
Isto de andar sempre com um sorriso nos lábios, feliz e saltitante não é tarefa fácil. É que esta coisa, a que chamam de vida, às vezes, parece fugir-nos um bocado do controlo.
Os meus dias, e os dela, têm andado assim, mais cinzentos que coloridos. Motivos? Sabemos lá. São tantos, tão diversos e, por vezes, intangíveis. São os mesmos de sempre, são outros que vão aparecendo.
Eu, tenho andado cansada e sinto a pressão de ver a meta cada vez mais próxima. Sinto a preocupação e as dúvidas de um futuro incerto, sem garantias e instável. Ela, acumula stress, horários loucos e um emprego complicado. Sente os dias vazios e a chatice das tarefas rotineiras.
E, logicamente, o nós recente-se. Porque não estamos bem, porque o tempo é pouco, porque tudo parece demasiado efémero. Os nossos momentos, são momentos flash. Acabam em segundos.
E depois, é nestes momentos, em que tudo nos parece injusto, que nos pomos a pensar na nossa vida e em tudo o nos afecta e deita a baixo.
Eu não sei o que é beijar a minha namorada todos os dias, eu não sei sequer, o que é beija-la todas as semanas. Eu não sei, não me recordo, da última vez que a beijei. Eu falo com a minha namorada por sms, eu só a olho, olhos nos olhos, umas três horas por semana. Eu, por muito que me esforce, há dias em que não consigo, em que desanimo e me vou a baixo, porque as saudades são tantas e o querer estar perto é mais do que muito.
Já sei que não me posso estar sempre a queixar. Já sei que tenho de levantar a cabeça e seguir o caminho. Já sei que devo contornar a tristeza com uma gargalhada. Já sei que há vidas bem piores que a minha. Eu sei, eu sei tudo isso, mas também sei que nem sempre tenho disposição para fingir que está tudo bem e que a vida é bela. Não sou uma super mulher.
Desculpem-me, mas a minha vida, neste momento, parece-me uma porcaria. Hoje, é um daqueles dias em que não me apetece mesmo nada sorrir.

* e pouco lógico.

Pág. 1/2