Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um quarto para duas

Um blog, duas raparigas, um amor.

Um quarto para duas

Um blog, duas raparigas, um amor.

31
Jul12

LX, Menina e Moça

ana
Já se ouve falar da série desde 2010 e eu continuo ansiosa para a ver nos ecrãs da televisão. Gostava mesmo que este projecto fosse para a frente. Segundo o dezanove, pensa-se agora na internacionalização da série, visto que em Portugal as coisas estão complicadas. Espero que consigam.
Deixo-vos (mais uma vez) o video promocional da série.

30
Jul12

Coisas que me fazem pensar que eu, afinal, até consigo ser uma boa dona de casa #2

ana
Gosto de mesas postas, bem postas. Gosto de talheres e de pratos bonitos, gosto de guardanapos de pano e de toalhas originais, gosto de copos com design e gosto de jarras com flores e velas a decorar. Gosto de uma mesa bonita. Gosto imenso de ver uma mesa bem decorada. Quero imenso ter uma mesa nossa, para decorar e rechear com os meu cozinhados. E não, não será só em dias especiais, será sempre que nos apetecer, porque uma mesa bonita não precisa de justificação e porque, para mim, são estas pequenas coisas que fazem os dias, rotineiros, mais interessantes.


30
Jul12

...

ana
Fim-de-semana dedicado ao exercício. Sábado fizemos uma caminhada nocturna, à luz de lanternas, aqui pelos trilhos da aldeia. 8km, aproximadamente, que cansaram as pernas, mas que fizeram bem ao corpo e à mente. Foi bom e é para repetir para o ano na próxima caminhada nocturna.
Mas antes, o Sábado foi preenchido com mais uma ida à praia. Curta, porque a Rita só saiu do trabalho as 17:30h, mas relaxante, só assim para apanhar o ar fresquinho do mar e rebolar na areia.
Têm sido dias bons, mesmo bons. Daqueles dias e daqueles momentos que desejávamos há muito. E é óptimo concluir depois de um dia passado a duas que, mesmo com todas as adversidades, desentendimentos e depois de passarmos pelo período mais conturbado da nossa história, o nosso amor é enorme e que ainda temos muito para viver, lado a lado.
Somos felizes, somos imensamente felizes juntas e estes dias têm servido para comprovarmos, ainda mais, isso!
25
Jul12

It Gets Better #1

ana
Há uns tempos falei deste projecto aqui. Agora ele passou da net para a tv e, na passada 2ªfeira, na MTV Portugal deu um documentário sobre este projecto. Eu não vi, porque me esqueci completamente e não pus a gravar, e gostava de ver. Por isso, se alguém viu ou encontrar o link, partilhe.
25
Jul12

Ressentimentos, recalcamentos, ressabiamentos e outros tormentos

ana
Tento excluir, todos os dias, estes "entos" da minha vida. Por vezes consigo e sinto-me realmente feliz com isso.
Não vale a pena nutrir ódios, mágoas e bad feelings sobre pessoas ou situações. É parvo, desgasta e magoa.
O que passou, passou. O que aconteceu, aconteceu. Se está tudo bem, se me sinto bem com as atitudes que tive, se acho que fiz as escolhas certas, óptimo. É escusado bater sempre na mesma tecla.
Ser feliz e deixar ser feliz. É sempre a melhor opção!
25
Jul12

...

ana
Agora que estou de férias e tencionava pôr todas as séries que acompanho, e as que não acompanho mas ia começar a acompanhar, em dia... puff, a televisão avariou. Quer dizer, eu acho que avariou. Ela fez um barulho, o ecrã ficou todo preto e eu desliguei-a, com medo que explodisse, ardesse ou que acontecesse outra tragédia qualquer. Neste momento estou aqui, num impasse, a ganhar coragem para a ligar e ver se ressuscitou, mas tenho medo que se auto-destrua mal carregue no botão. Pensando bem, vou esperar pela minha mãe.
23
Jul12

...

ana
Chumbei num exame com 8. Pronto foi isto, assim, e não me façam perguntas, nem me digam coisas como "que pena", "acontece a todos", que eu sei disso tudo, mas é complicado pensar positivo quando essa é a única cadeira que vos falta para ter a porcaria de um diploma nas mãos. E não, não tenho exames de recurso, nem de época especial, nem em Setembro, nem em mês nenhum. Tenho de pagar mais um semestre, e é se não for um ano, de propinas para fazer uma cadeira.
Chumbei à cadeira que achava que ia passar, passei à cadeira que achava impossível passar. Há coisa do demo, há pois.
Amanhã vou à faculdade falar com o professor e ver o meu exame, que cá para mim há ali qualquer coisa que não está certa. Mas não vou chorar, nem pedinchar um dez, nem nada que se pareça. Toda a gente me disse para o fazer, que é assim que toda a gente faz, que é estúpido não acabar o curso por causa de uma cadeira, mas eu não sou assim e não sou capaz, se ele me disser que errei, que não sabia, que não fiz bem, de pedinchar uma nota que não mereço! Amanhã vou só olhar para a borrada que fiz e enterrar este capitulo. Em Setembro lá estarei para fazer melhor. Contrariada, cansada, desmotivada, mas lá estarei.
Entretanto resta-me tentar descobrir o lado positivo disto tudo. Encarar isto como uma oportunidade de pôr as ideias em ordem e de pensar o que quero fazer a seguir, sem pressas nem pressões.



21
Jul12

La plage #1

ana
Quinta-feira foi mesmo o nosso primeiro dia de praia. Primeiro esteve-se bem, depois esteve-se mal. Ao final da tarde chegou um vento frio e areia a batia-nos no corpo e aleijava. A água gélida, como sempre, fazia-nos doer os ossos e, como sempre também, era complicado aguentar mais de 5 minutos sem começar a tremer como um doente de Parkinson. Sexta-feira repetimos. Fomos para outra praia. E, se ao sair de casa o tempo nos parecia pouco agradável para a prática balnear, a verdade é que chegadas à praia o cenário era outro. Calor do bom, praia quase só para nós e um mar mais calmo. Foi bom, esteve-se mesmo bem. O pior foi o escaldão. Eu bem me barrei com protector, eu bem me meti à sombra do nosso chapéu amarelo, mas esta pele branquinha passou logo a vermelha. Odeio estar queimada, é que odeio mesmo e é raro acontecer, mas quando acontece nem as orelhas escapam.
Entretanto, entre mais umas páginas do Livro e umas leituras de uma qualquer revista de "modas e cenas de miúdas", eu tive uma ideia que em muito vai contribuir para a nossa felicidade em dias de praia. Vamos comprar um corta-vento (talvez tenha outro nome técnico, que eu desconheço). Assim protegemo-nos do vento e ainda damos uns beijinhos protegidas dos olhares alheios, já para não falar que com esse utensílio, o chapéu, em vez de estar inclinado para proteger dos mini tornados que se formam nas praias aqui da zona, passa a desempenhar a função para a qual foi criado: fazer sombra!
E assim vão os nossos dias de praia. Corpos ao sol, barulho das ondas e areia nos pés. Muito descanso, como se quer, tempo de qualidade só para nós e a vontade destes dias serem infinitos.
Para a semana há mais, mas primeiro é tempo de curar o escaldão, que isto de parecer um camarão não é coisa bonita.


Pág. 1/3