Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um quarto para duas

Um blog, duas raparigas, um amor.

Um quarto para duas

Um blog, duas raparigas, um amor.

30
Nov13

Private joke, ou seja, ignorem isto porque a loucura está instalada!

ana
Tentei competir com a Nikkita, essa diva dos blogs, e instalei uma caixinha de contacto ali do lado direito.
Mas, vou ser obrigada a desistir! Acusaram-me de abusar dos meus poderes como blogger e de não respeitar a privacidade de quem utiliza o tão valioso gadget, porque aquilo pede nome e e-mail. Além disso as mensagens vão para o mail e isso dá muito trabalho.

Oh, blogger, mas será que tu não sabes fazer nada bem feito? Boring!
29
Nov13

...

ana

Eu já tinha uma ligeira dor de garganta, e depois de ouvidos. Agora estão a chegar, assim de mansinho, aqueles arrepios que atravessam o corpo. Ah, e espirros! Desconfio que isto não vai ficar por aqui.
Parece-me que vou passar o fim-de-semana munida de muito chá com mel, brufen e meias de lã!


29
Nov13

...

ana
Se eu escrevesse este blog com o intuito de ter muitas visitas e gerar polémica (há muitos assim!), publicava hoje um texto que escrevi sobre o Banco Alimentar e a minha opinião sobre estas campanhas. Mas, como sou uma rapariga dada à paz e ao amor, vou guardá-lo bem guardadinho e desejar-vos um excelente fim-de-semana!
Ah, e agasalhem-se, que faz mesmo muito frio.


28
Nov13

...

ana
Tem-me andado a apetecer experimentar coisas que nunca tive curiosidade de provar.
Num dos últimos episódios do MasterChef que vi, estavam a fazer sushi. Na verdade, eu já comi sushi, mas numa daquelas cadeias de fast sushi e não me agradou muito. Não me agradou nada, é um facto. Mas vi o programa e apeteceu-me voltar a comer. Gosto de dar uma segunda oportunidade a estas coisas, não gosto de dizer logo que não gosto, porque pode ter sido apenas uma má experiência. No entanto, não me apetece pagar imenso por sushi e acabar por confirmar que aquilo não é mesmo o meu tipo de comida.
Outra coisa que nunca provei, e isto é mesmo uma vergonha, foi Francesinha! Confesso que nunca o fiz porque o aspecto me deixa logo de pé atrás. Parece-me tão grande, tão cheio de gordura, tão cheio de molho, que me sinto intimidada e incapaz de comer aquilo tudo. Ah, e o facto de ter ido ao Porto uma única vez na vida, quando tinha para aí 7 anos, [sim, isto é uma vergonha ainda maior!!!!! é uma das maiores falhas da minha vida!!!!], também não ajuda. É que se é para provar, é para ser no sitio certo, não quero uma Francesinha do centro ou sul do país!
Bem, por esta ordem de ideias também só devia comer sushi no Japão...

28
Nov13

...

ana

Já começo a sentir a pressão dos dias, que são cada vez menos e passam tão rápido.
Ainda tenho mil coisas para organizar, o professor orientador não me responde aos mails, a professora de espanhol idem. Do plano de estágio ainda não se falou, as aulas de espanhol nunca mais são marcadas, a única coisa certa é a data de início de estágio! Começo a ficar preocupada e a sentir -me abandonada.
Acho que já me tinha esquecido da desorganização daquela faculdade e do "deixa andar" daquele professor. Felizmente, a entidade de acolhimento tem-se mantido em contacto comigo. Menos mau.
E pronto, já começo a contagem decrescente para embarcar nesta aventura. O entusiasmo está lá em cima!

[Depois penso que vou estar longe da mulher da minha vida e ele desce logo para metade! É melhor não pensar muito nisso ainda, mas já não controlo aquele aperto no peito sempre que penso no assunto. Ai!]

25
Nov13

Christmas tips

ana
Tenho alguma dificuldade em resistir a enfeites para a árvore de Natal. Todos os anos compro pendentes, bolas, grinaldas, etc. Tento sempre fugir ao vermelho, mas não consigo. Para mim, é a cor do Natal!
Ainda não decorei a árvore. A minha mãe ficava já com os nervos em franja. Primeiro, porque ainda estamos em Novembro e quanto menos tempo a árvore ocupar espaço na sala melhor! Depois, porque todos os anos os enfeites desaparecem misteriosamente e é preciso revirar o sótão, extremamente arrumado (not), para conseguir recuperá-los. É também por isto, que todos os anos compramos algo novo, nunca sabemos onde estão todas as bugigangas que temos.
Ah e luzes. Luzes também é um artigo frequentemente comprado. De um ano para o outro deixam sempre de funcionar, ou só funciona metade. Não percebo.

Para quem quer ser muito original, ou não tem espaço para pinheiros "plantados" na sala, encontrei umas ideias muita giras.





Eu continuo a preferir o tradicional pinheiro de Natal, mas que este são giros, lá isso são!

21
Nov13

...

ana
Rita e Filipa, lancham alegremente uma tosta de queijo brie e oregãos e uma caneca de café. Conversam sobre presentes de Natal, Rita tenta adivinhar aquilo que Filipa lhe vai dar, dando umas dicas inocentes sobre jogos para a playstation.
Filipa sorri e diz que já escolheu o presente e não vale a pena continuar com aquela conversa.

- Olha Filipa, mas sabes o que gostava mesmo de ter?
- Hum, não. Diz lá!
- Uma caixa de Legos... dos pequeninos!
20
Nov13

Christmas tips II

ana
Amanhã chegam ao Lidl umas formas de silicone e conjuntos cortadores de massa, daqueles metálicos, apenas a 4€. Quem tiver oportunidade passe por lá, os cortadores dão imenso jeito para quem quer fazer bolachinhas natalícias personalizadas.


20
Nov13

...

ana
Às vezes penso: Filipa, Filipa, este blog está tão longe daqueles que eram os objetivos iniciais, que quem te lê desde o início deve achar que só pode ser outra pessoa a escrevê-lo!

Quando criámos o blog era suposto dedicarmos-nos, essencialmente, aos temas lgbt, com maior incidência nos lésbicos, óbvio. E assim foi durante algum tempo. Depois percebemos, ou se calhar nem percebemos, foi natural, que  seguir uma linha mais pessoal seria o caminho certo.
Houve uma altura em que, de facto, partilhávamos muito da nossa relação, se calhar até de mais. Pus as mãos na consciência, falei com a Rita, que por essa altura já não escrevia muito no blog, e decidimos suavizar um bocadinho a componente pessoal aqui do quarto. Continuaria a escrever sobre nós, sobre as nossas coisas, a relação, mas com menos pormenores e detalhes. Há coisas que apenas nós devemos saber, que não interessam aos outros, ou que interessam demasiado e isso é mau. Mais recato nunca fez mal a ninguém.
Entretanto, nestas voltas, foi-se perdendo um bocado a parte ativista e lgbt da coisa. Os textos sobre o assunto são cada vez menos. Mas, na verdade, acho que já escrevi tanto sobre isso. Há textos sobre auto-aceitação, homofobia, direitos, histórias mais pessoais, saídas do armário, sexo, etc. Sempre que acho importante escrevo sobre o assunto, mas já não me apetece andar sempre com a bandeirinha na mão.
Não julguem que abandonei o barco da luta. Nada disso. Continuo aqui, firme e pronta a lutar. Ainda há muito a fazer e o blog terá sempre espaço para ser campo de batalha, de discussão, de divulgação e projeção.
O blog continua a ser um espaço 100% lésbico! E espero continuar a partilhar as minhas, nossas, aventuras e desventuras como homossexuais. Espero um dia falar-vos da minha saída do armário (oh, deuses, o eterno problema!), do nosso casamento, dessas coisas.
Mas, como para além de lésbica sou mulher, tenho sonhos, gostos, desejos, uma carreira profissional (ainda não tenho mas espero vir a ter),etc... vou escrevendo sobre estas trivialidades do dia-a-dia. Sei que há muita gente que não gosta, que acha que o blog perdeu o "sumo" e o interesse e que as minhas aventuras na cozinha ou os meus projetos de Natal não têm interesse nenhum, mas, neste momento, é sobre essas coisas (e não só, porque continuo a escrever para e sobre a Rita, sobre relações e isso) que me apetece escrever.
E, sinceramente, continuo a achar que o blog cumpre exatamente o propósito para o qual foi criado - mostrar que a orientação sexual é algo tão banal e insignificante, que entre nós e outras mulheres não há diferença nenhuma. Que a nossa relação homossexual passa pelos mesmos problemas, dúvidas e momentos que uma relação heterossexual. Que não somos uma espécie de homens e que gostamos de nos sentir femininas, maquilhadas, arranjadas e bonitas. Que pensamos em ter filhos, que trabalhamos como os outros, que não somos taradas sexuais e nem temos namoradas novas todos os meses.
Temos uma vida normal. Tão normal que às vezes até cansa. Tão igual a tantas outras.
E é um prazer mostrar isso a quem acha que tínhamos tudo para ser diferentes!

E depois penso: Cala-te! Tem orgulho naquilo que este blog é acredita que ele cumpre cada vez melhor a sua função!

Pág. 1/4