Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um quarto para duas

Um blog, duas raparigas, um amor.

Um quarto para duas

Um blog, duas raparigas, um amor.

28
Ago14

...

ana
A Rita teve quatro dias de folga seguidos [obrigada deuses do amor!] e aproveitámos para fazer uns diazinhos de praia. E que bem que nos souberam. Quero mais. Quero-a  sempre mais <3 p="">


</3>
23
Ago14

Hoje não me escapa nada, vai tudo à frente!

ana
E hoje, a propósito da campanha fotográfica da Conchita para a Channel, li por aí umas coisas muito engraçadas. Haviam os indignados, aqueles do "este mundo está perdido", havia quem achasse uma aberração, coisa estranha, um nojo, havia os incrédulos, que não compreendiam, nem aceitavam tal coisa.
Depois, alguém os confrontava com o preconceito, com o cada qual é livre de ser o que quer e de se vestir como quer. E era aí que a magia acontecia, era vê-Los puxar do argumento arrebatador: "... eu até tenho amigos gays!"
Suspiro e revirar de olhos.
E a sorte que tem o "amigo gay" por ter amigos destes!
23
Ago14

Isto de não ter nada para fazer faz-me stressar assim com pequenas coisas

ana
Os banhos públicos, gelados ou lá o que é. Ai gente, até fervo por dentro sempre que vejo isso no feed do facebook ou na televisão. E não, não é pela causa em si que, nesse caso, toda a ajuda deve ser pouca e é bem vinda, é mesmo porque acho aquilo uma parvoíce. Desculpem, mas não consigo perceber estas carneiradas, muito ao estilo das "mensagem corrente", aquelas que temos de enviar para dez amigos no prazo de dez minutos, porque se não o fizermos algo de muito mau nos acontece.
E depois chateia-me um bocadinho esta sociedade. É preciso esfregarem-lhes com as coisas na tromba, ou nomeá-los em redes sociais, para terem consciência de que no mundo há gente a precisar de ajuda, doenças raras, doenças crónicas, fome, guerra... Faz-me confusão!
É assim como as campanhas de recolha de sangue ou dadores de medula óssea. Por exemplo, há uma criança especifica a precisar de ajuda, divulga-se na tv, nas redes sociais, fazem-se campanhas e trinta por uma linha e lá vai tudo ajudar, até porque fica muito bem pôr no facebook que se ajudou fulano x, ai jesus que sou tão boa pessoa, mas na semana seguinte já não interessa nada, que os quinze minutos de fama à la Madre Teresa de Calcutá já passaram.
E acordar um dia de manhã e pensar assim: bem, hoje vou tornar-me dador de medula óssea, sei que há gente que precisa, sou saudável, posso ajudar, vou fazê-lo!. E pronto, ajuda-se e segue-se com a vidinha, sem ser preciso esfregar na cara dos outros que se ajudou, ou que se ajudou porque os outros também ajudaram, assim como uma obrigação, ou, pior ainda, que se ajudou porque "está na moda".
Perdoem-me a sinceridade, mas na grande maioria das vezes, as pessoas só embarcam nisto por causa do mediatismo da coisa e porque fica bem partilhar nas redes sociais. E a prova de que isto é verdade é que a maioria dos portugueses leva com um balde de gelo pela cabeça abaixo porque, vejam lá bem, não querem pagar um jantar aos amigos, qual Esclerose Lateral Amiotrófica, a malta quer é poupar uns trocos, que isto anda mau e gastar dinheiro a encher a barriga aos outros não tem piada nenhuma.
A sério, acreditem em mim, podem ajudar os outros sem terem de o partilhar com todo o mundo, vão ver que não custa nada. Afinal, o objectivo é ajudar, não é ter muitos likes no face, certo? Pois, bem me parecia!
14
Ago14

...

ana
Ainda estou a decidir o que gosto menos: uma ida ao dentista, ou uma consulta de ginecologia.
Usei aparelho dois anos e, mesmo depois de consultas mensais, jamais me habituarei a todas aquelas "ferramentas" dentro da minha boca, é-me impossível ficar descontraída enquanto estou sentada naquela maldita cadeira! Só a palavra dentista me causa calafrios. E, por acaso, nunca tive uma muito má experiência com dentistas. Sou daquelas sortudas que extraiu os dentes do siso em 5 minutos e que nem precisou de levar pontos. É mesmo uma parvoíce, mas não consigo evitar ficar super nervosa sempre que o assunto envolve dentes!
Já a ida à ginecologista é outro stress. Para já porque envolve (envolvia, pelos vistos o grandessíssimo parvo dissipou-se,  felizmente!) um nódulo na mama, coisa que me deixava, a mim e à minha ligeira hipocondria, com os nervos em franja. Esta semana tive o prazer de lhe fazer uma visitinha e relembrei o quão maravilhoso é estar ali assim, exposta! Felizmente, tenho uma médica cinco estrelas, a quem falei abertamente da minha orientação sexual, que é super atenciosa e que me explica tudo o que quero saber, que me tranquiliza sempre.
Acho que esse é o único motivo que me faz, talvez, preferir esta última. Não é agradável, mas acho que derrota o dentista, esse demônio de broca em riste!

13
Ago14

As intolerantes

ana
Pelo andar da carruagem, temo que a nossa casa (que ainda não temos, mas que vamos ter) se transforme num local 100% apto a intolerantes.
Não, não são os intolerantes compulsivos, aqueles que não toleram os homossexuais, os pretos, os que falam alto, os que falam baixo, os que comem fastfood, os que bebem batidos verdes, os que acordam cedo, os que se deitam tarde... Não, não são esses que "intoleram" tudo mais um par de botas, são mesmo os que são intolerantes a algum tipo de alimento.
eu, sou intolerante à lactose. Agora, tudo indica que a Rita não possa comer coisas com glúten!
A sério, só imagino as prateleiras da nossa despensa cheia de leite de soja e farinhas sem glúten, tal loja do Celeiro!

08
Ago14

Cabelos

ana
Barcelona é uma cidade espectacular, mas o meu cabelo odiou! Demasiada humidade para os meus frágeis caracóis que, coitados, já andavam a passar por uma fase menos boa antes de partir para terras catalãs.
Sim, eu já fui dona de uma farta cabeleira de caracóis, daqueles que vemos na publicidade, daqueles a que podemos mesmo chamar de perfeitos. Depois, e porque fui muito burra, dei cabo deles com umas "desfrisagens". Nunca voltou ao estado inicial, mas recuperou, e até não ficou nada mal com uns caracóis mais largos e soltos.
Em Barcelona os "piquenos" não se aguentaram. Fiquei com as raízes oleosas, coisa nunca antes vista, com as pontas secas e frisadas e sem forma nenhuma. Não era liso, nem encaracolado. Ficou só feio.
Agora, está em fase de recuperação. Levou um pequeno corte, mas a coisa ainda não está como eu gosto.
Não sei que fazer e, como não tenho nada para fazer, estas coisas ocupam-me a cabeça por muito tempo.
Aceito conselhos. dicas, sugestões e soluções. Quem tem caracóis, o que usa para os definir?
08
Ago14

...

ana
Eu gostava de ter coisas giras para vos contar, mas não tenho. A minha vida anda tão parada como um relógio sem pilhas.
Entretanto, e como não podia deixar de ser, fiquei doente. Mais umas dores de garganta para juntar à colecção (ultimamente não me têm dado descanso).
Este tempo também não ajuda. O que é isto? Que verão é este? Posso ter esperança, ou acham que não vai fazer calor este ano? Começo a desesperar. Espero, desejo e faço muitas figas para que em Setembro, quando a Rita estiver de férias, o calor se faça sentir. Talvez dê para aproveitar uns dias de praia a duas.
E é isto. Talvez meta as mãos à obra numa pequena bricolage, mas preciso mesmo que o tempo melhore, porque envolve pinturas e com esta humidade parece-me um bocado impossível. Depois mostro. Se, eventualmente, se concretizar. Talvez...



03
Ago14

Pela minha saúde!

ana

Não é "ano novo, vida nova", mas é como se fosse. Os recomeços renovam-me a vontade e enchem-me de força para novas coisas e projetos.
Ora, desta vez, e depois de seis meses de desgraça, com muita fastfood, álcool, tabaco e nenhum exercício físico, estou decidida a mudar a minha alimentação e adotar um novo estilo de vida.
Vamos com calma, não pensem que me vou inscrever no ginásio e começar a correr maratonas. Ou que vou excluir por completo os doces da minha vida, ou acabar com os bifes da Portugalia. Não, nada disso. Vou apenas ser mais moderada, ter mais atenção ao que como.
Vou esforçar-me muito, mas mesmo muito, para acabar com os refrigerantes, o meu grande vício. Agora no verão, vou aventurar-me nos chás frios e nas águas aromatizadas.
Estou motivada. É desta que consigo. Da próxima vez que fizer exames o maldito do colesterol já tem de estar controlado!