Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um quarto para duas

Um blog, duas raparigas, um amor.

Um quarto para duas

Um blog, duas raparigas, um amor.

30
Dez14

Vemo-nos em 2015!!

ana

Sem grandes resoluções, despeço-me de 2014. Foi um ano bom e eu estou grata por isso.
Para 2015 levo apenas o que importa, o que me faz feliz e me completa.
A vós, desejo um novo ano cheio de coisas boas. Lutem por aquilo em que acreditam, pelos vossos sonhos, pela felicidade.
Boas entradas, minha gente!

(E um grande obrigada por nos acompanharem ano após ano.)
30
Dez14

Coisas minhas, constatações, dúvidas e tal

ana
Escovas PHB. Onde raio se vende isto em Portugal?

Sou uma esquisitinha com escovas de dentes. Não gosto de escovas muito "complicadas", ou seja, dispenso aqueles cruzamentos de cerdas, aquelas laterais de borracha, essas invenções mirabulantes, que prometem remover todo e qualquer vestígio de comida e bichinhos que habitam na nossa boca. Eu não preciso desses mecanismos todos. Quero apenas uma escova normal! Com os pelinhos suaves, todos do mesmo tamanho, da mesma cor e do mesmo material. Quero uma escova banal, básica, simples!
Em Barcelona, encontrei umas que me encheram o coração. Trouxe algumas para Portugal mas, infelizmente, o stock está a chegar ao fim. Já procurei por todo o lado e não encontro escovas iguais em lado nenhum.
Estou a desesperar. Digam-me onde posso comprar escovas destas, ou semelhantes!
Prometo recompensar (com umas bolachinhas caseiras, por exemplo) quem me solucionar este problema. Façam a última boa acção de 2014 e entrem em 2015 com a sensação de dever cumprido.
Help me!


Posted via Blogaway
29
Dez14

Na contagem decrescente para o fim do ano

ana

Acordar ao lado dela. Ficar bem juntinha. Demorar até sairmos da cama. Deixarmo-nos estar entre a preguiça e o namoro. O tempo é todo nosso. São assim os últimos dias de 2014. Tão bom como começar bem, é acabar ainda melhor. Com mais certezas, com provas superadas, com mais desejos e vontades.
E com estas manhãs longas, cheias daquilo que mais importa - o nosso amor!


Posted via Blogaway
26
Dez14

No rescaldo

ana

Foi um bom Natal. Família, comida, presentes, crianças a correr pela casa, sorrisos e o quentinho da lareira.
Este ano, o Pai Natal foi ainda mais generoso e deu-nos a oportunidade de estarmos juntas hoje. Por isso, vou ali aninhar-me na cama com a minha miúda, que não há melhor presente no mundo. Que seja sempre assim!


Posted via Blogaway
23
Dez14

Bloggy Christmas - Desafio

ana
A Nikkita, do blog pink ego box, lançou-me um desafio de Natal. Há muito tempo que não respondia a um desafio destes, mas é Natal e eu estou uma "mãos largas", por isso, cá vai:

(E com um bónus. A Rita também respondeu!)

Árvore de natal artificial ou natural?
Rita: Artificial e branca.
Filipa: Artificial e verdinha. 

Natal com neve ou sol?
Rita: Neve.
Filipa: Bem, eu prefiro neve, mas duvido muito que tal fenómeno se dê por cá. Por isso, será com frio, apenas!

Esperar pela manhã ou abrir os presentes à meia-noite?
Rita: Abrimos à meia-noite.
Filipa: "Esperar pela manhã" ahahahha. Abrimos à meia-noite (teoricamente!)

Qual o filme que adoras ver nesta altura?
Rita: Todos menos o "Sozinho em Casa".
Filipa: Todos, incluindo o "Sozinho em Casa". Mas o preferido é "O Amor Acontece". 

Cânticos de natal nos shoppings. Sim ou Não?
Rita: Nãaao!
Filipa: Não, mas tem de ser, né?

Qual o uniforme que usas no dia de natal? Pijama ou vestes toda bonita? 
Rita: Visto uma roupa nova, ou a minha preferida.
Filipa: Pijama? Isso é para dormir! Tenho sempre dois outfits, o da noite de 24 e o de dia 25! 

Qual a tua comida de natal favorita?
Rita: Todos os doces.
Filipa: Sinceramente, dispenso o bacalhau. Gosto dos sonhos, de arroz doce, coscorões... dos doces em geral! 

O que queres receber este natal?
Rita: Umas sapatilhas (que a Filipa me vai oferecer!)
Filipa: Roupa!! 

Planeias antecipadamente os presentes ou é à última hora?
Rita: Última hora!
Filipa: Nem com muita antecedência, nem muito em cima da hora. Mas alguns presentes vou planeando ao longo do ano!

Vestes de Pai Natal?
Rita: Não.
Filipa: Não. 

Qual a tua música favorita do Natal?
Rita: George Michael " Last Christmas".
Filipa: A mesma (oh, temos tanto em comum!), mas na versão dos Wham. 

Onde vais passar o Natal este ano?
Rita: Com os meus tios.
Filipa: Com a minha família. 

Entonces, acho que tinha de nomear algumas pessoas para o desafio, mas eu quero ver toda a gente satisfeita, por isso, quem quiser responder está à vontade! 
21
Dez14

Já podemos dar inicio à contagem decrescente

ana

Faltam três dias para a noite de Natal. Ainda não pensei bem nos doces que quero fazer. Talvez comece pelas típicas bolachinhas. Pensei em fazer uma espécie de bolo rei, com frutos secos e chocolate, mas ainda não sei.
Vou fazer a última ronda pelos blogs e livros de culinária para definir tudo o que quero, comprar os ingredientes e depois pôr mãos à obra.
Ainda tenho de embrulhar alguns presentes, gostava de imprimir umas etiquetas, mas a minha impressora não está a querer colaborar, por isso, lá terei de arranjar outra solução.
Gostava de ter o entusiasmo de outros anos, não sei porquê, mas este ano não estou com grande espírito.
Quando a família começar a chegar, quando as crianças já se ouvirem, quando na cozinha já cheirar a canela e outras coisas boas, tenho a certeza que o mood se instala.
Ainda devo ter tempo de aqui passar e de partilhar umas receitas, mas para aqueles que ainda têm as compras de última hora para fazer, que já têm o avental posto, que já têm a família reunida e que já não vão ter tempo de passar por cá, desejo-lhes um feliz Natal junto daqueles que amam!


Posted via Blogaway
20
Dez14

Agora que penso nisto, o meu Natal sempre foi a coisa mais pragmática e sem magia que pode existir. Mas eu até gosto dele assim!

ana
Cá em casa, nunca se alimentou muito a ideia do Pai Natal. Não sei se alguma vez acreditei nele, mas desde muito nova que me lembro de ir com os meus pais escolher o presente que queria e de me assegurar que a restante família recebia a minha lista de desejos. 
A minha mãe nunca teve muito jeito, nem paciência, para brincar ao "faz de conta" e eu não fui menos feliz por não acreditar no velho das barbas. Era-me indiferente, até porque os meus desejos eram quase sempre realizados. 
Sempre que a minha mãe me tentava fazer uma surpresa (comprando algo sem que eu visse) eu fazia tudo para descobrir o que era. Lembro-me de, com a ajuda do meu irmão, descolar a fita-cola dos embrulhos para ver o que estava lá dentro. Todos os anos isto acontecia. Sempre fui demasiado curiosa, e um bocadinho controladora, para gostar de surpresas.
A véspera de Natal, sempre foi passada em casa da minha avó materna. Não havia aquela coisa de esperar até à meia noite para abrir os presentes. Quer dizer, teoricamente havia, mas depois de jantar, eu e o meus primos já não arredávamos pé da árvore e fazíamos aquele choradinho irritante, que dá cabo da cabeça de qualquer adulto e era-nos concedida a autorização para abrir tudo! Aquilo era a loucura. O resto da noite era passada a brincar com o "novo material", porque nós não abríamos os presentes só por abrir, era mesmo para podermos usufruir deles, como se nunca tivéssemos brincado na vida!
O dia de Natal, passado com a família da parte do meu pai, era outro fartote. O meu irmão, invariavelmente, recebia uma consola de jogos e eu, bem eu recebia aquilo que tinha pedido. Normalmente era o boneco mais xpto do momento, ou mais uma assoalhada da casa da Barbie. 
Sempre assim, sem surpresas, ano após ano.
Como devem calcular, agora já não ando por ai a fazer pedidos e a entregar listinhas à família, mas mesmo assim são raras as surpresas que tenho. 
E entre mim e a Rita funciona o mesmo esquema. Cada uma escolhe o que quer receber e ficamos sempre satisfeitas. É pouco romântico, mas é infalível. 
É um Natal pouco mágico, mas é o Natal que sempre tive e posso dizer-vos que estou satisfeita!
19
Dez14

Querido Pai Natal...

ana

Não venho pedir nada (venho, mas é uma coisinha de nada). Para ser sincera, eu tenho tudo aquilo que quero, materialmente falando. Roupa que não me cabe no armário, cremes, maquilhagem, telemóveis e a mais variada tecnologia, livros e até coisas sem utilidade nenhuma. Eu tenho tudo e tenho muita sorte por isso e por ter a família que tenho, uns pais que vão satisfazendo os meus "pedidos" e até uma namorada que lá vai contribuindo para a satisfação das minhas "necessidades" consumistas.
Depois, fora do materialismo e do consumismo, também tenho muita coisa boa. Claro que me faltam umas coisinhas, mas são assuntos que só de mim dependem, por isso, nem tens de te preocupar.
Bem, o que eu quero mesmo pedir é que dês uma palavrinha aos senhores da MEO. Por favor, é que só de pensar que tenho de ligar para o 16200 fico logo a transpirar. Aquilo deixa-me muito nervosa, Pai Natal. Diz-lhes que o serviço deles é o maior embuste de todos os tempos, que o valor que pago mensalmente não justifica o facto de demorar duas horas a carregar um filme, que ouvir música no YouTube aos soluços não tem piada nenhuma e que em pleno século XXI isto é uma vergonha! Se tiveres tempo, podes também dizer que se investissem menos dinheiro em publicidade parva (a deste Natal não se aguenta) e melhorassem o serviço era uma boa ideia.
E é só isto. Nem precisas de embrulhar.

Um abraço carinhoso,

Filipa


Posted via Blogaway

Pág. 1/3