Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um quarto para duas

Um blog, duas raparigas, um amor.

Um quarto para duas

Um blog, duas raparigas, um amor.

28
Fev15

Coisas minhas, constatações, dúvidas e tal

ana

Caraças, uma pessoa, por muito que se esforce, tem momentos, ou dias, ou semanas, em que se sente mesmo na/uma merda. Bate-se no fundo e deixamo-nos ficar por lá.

Não tenho vergonha nenhuma de dizer que sou uma pessoa que se "afunda" com facilidade. É o que dá ser demasiado ansiosa. Vive-se numa espiral de preocupações, pessimismos e desânimo. Começam a perder-se noites de sono, o descanso fica comprometido e lá se vai a calma e o bom humor. É sempre a descer!

Felizmente, tenho quem se preocupe comigo e faça de tudo para me trazer à tona. Garanto-vos, se não existisse este Alguém, passaria maior parte da vida a carpir a minha desgraça, sem força para levantar a cabeça e seguir em frente.

Eu sei, não devemos deixar o nosso bem-estar emocional nas mãos de outros. Devemos nutrir por nós próprios o maior amor. Tem de partir de nós a vontade de fazer mais e melhor. Mas gente, a verdade é que ter do nosso lado alguém que nos ame, que nos dê a mão quando mais precisamos, que nos abane e diga que está na altura de voltar "à vida", é uma valente ajuda! Afinal, todos precisamos de um empurrãozinho de vez em quando. 

26
Fev15

1, 2, 3 teste

ana

Sabem, não percebo nadinha disto. Nada de nada. Estou em branco. 

Digam-me lá uma coisa, então agora onde é que eu leio as actualizações dos blogs que sigo, ou seguia, porque agora não sigo coisa nenhuma? Aliás, como é que eu sigo outros blogs, ou aqui não segue nada e tenho de andar por ai a lêr um por um? 

Já agora, as Tags dão-vos jeito? É que aqui parece-me mais fácil utilizá-las. 

[penso que está tudo ok, que migrou tudo como deve de ser, que não ficaram malas pelo caminho, mas se virem que falta alguma coisa digam! Façam sugestões, dêem dicas, sintam-se à vontade.]

 

25
Fev15

Coisas parvas, teorias do além e cenas do mal

ana

Ontem tinha aqui uma mensagem do blogger, que entretanto apaguei e já nem sei bem o que dizia, mas era qualquer coisa sobre o blog ser considerado para adultos, por ter umas imagens de conteúdo "duvidoso", tipo nudez e afins.
Eh pá, eu já levo uns anitos de blog e não descarto por completo o facto de ter por aqui umas "gajas nuas", ou pelo menos em trajes reduzidos, pintadas numa tela por um qualquer pintor conhecido, ou fotografadas por algum fotografo profissional ou amador.
Por isso, se isso faz de mim uma blogger de conteúdos para adultos, estou bem tramada. É que falta-me um bocado a paciência (não é tempo, que isso até tenho muito) para andar a vasculhar os arquivos aqui do quarto à procura de imagens mais atrevidotas.
Ah, dizia-me o blogger, em tom ameaçador, que se as ditas imagens, cheias de erotismo (lol), por aqui permaneçam me fecham o estaminé, que cruzes-credo estes conteúdos não podem fluir livremente por essa net fora, ainda ofendem alguém que venha aqui parar ao acaso! Um par de mamas, entre uma receita de soufflé e um qualquer desabafo parvo, é coisa para incomodar os mais pudicos.
Por isso, caso a ameaça se concretize, e havia uma data que entretanto já esqueci, aqui o quarto migra para o a vizinhança Sapo. Não tenho muita paciência para estas merdas, oh blogger.


25
Fev15

Coisas minhas, constatações, dúvidas e tal

ana

Antes, quando estava mais triste ou cansada, quando estava revoltada ou indignada com alguma coisa, era quando mais me apetecia escrever.
Não sei muito bem o que mudou, mas cada vez me apetece menos escrever sobre os meus problemas, sobre aquilo que me preocupa.
Não quer dizer que não o faça, mas faço-o quase por obrigação. Tipo "vá escreve aí sobre essa porcaria que te anda a tirar noites de sono, pode ser que o desabafo te faça bem". Sinceramente, não faz. Não me liberta nem um bocadinho. Por vezes, pôr por escrito aquilo que vai cá dentro, até me faz sentir pior. Torna tudo mais real.
Não ando numa boa fase. E não me apetece muito falar sobre isso. Nem aqui, nem com ninguém.


23
Fev15

Óscares, o resumo

ana

Não vi tudo, muito intervalo e pouco entusiasmo da minha parte.
Do que vi, foi isto:

1 - Vestidos fraquinhos. Nada que me tenha deixado de boca aberta. É que nem um. Muito vestido feio, na minha opinião.

2 - O Neil Patrick Harris não foi lá grande coisa. Piadas fraquinhas, por vezes, encaixadas em momentos pouco propícios. Mas esforçou-se e isso já não é mau.

3 - A Oprah achou-lhe um piadão, ou não! Estava com umas trombas...

4 - O melhor foi mesmo o discurso de Patricia Arquette. Pelos vistos esta coisa da igualdade entre sexos também não funciona muito bem em Hollywood e ela decidiu falar do assunto. A Meryl Streep gostou muito de a ouvir, e eu também!

E foi isto, não vi muito mais. O Neil de cuecas, uns números musicais e a entrega das estatuetas das categorias mais técnicas. Fui para a cama, estava a ser muito chatinho.


23
Fev15

Achas que sabes dançar?

ana

O Joaquín Cortez diz que os portugueses têm de "consumir" mais dança, porque as votações são sempre injustas e os menos votados nunca merecem sê-lo.
Oh Joaquín, mas ninguém te avisou que os portugueses (uma generalização, eu sei!) não percebem nada de dança? Estão -se a marimbar para isso. E ainda mais para esses estilos de dança que passam no programa. Um pezinho de dança no bailarico ainda vá que não vá, agora estas modernices, ninguém quer saber!
Mas está descansado que não é só dança. É assim uma coisa das artes em geral!
Vá, não te chateies. É triste, mas uma pessoa habitua-se!


20
Fev15

Ia tendo um ataque!

ana

A minha prima, adolescente em todo o seu esplendor, falava-nos dos filmes que queria ver.
Tudo perfeitamente normal, a miúda gosta de ver filmes e está sempre a chatear-me para ir ao cinema.
A lista era enorme. Uns tantos que estao nomeados para os Óscares, uns que já são velhos mas que nunca mais estão online e "aquele que agora estão sempre a falar na TV, qualquer coisa das sombras".
Olhei para ela só para tentar perceber se estava a gozar comigo. Nao estava. Perguntei se sabia que tipo de filme era. Não sabia.
"Ah é que a minha mãe não me deixa ver e eu agora quero ver".
Pus o meu ar mais sério, perguntei-lhe se lhe interessava assim tanto ver um filme sobre sexo, com mulheres amarradas a camas e chicotes (não sei bem se é isto, mas pronto, deve ser lol). Disse-me que não, que afinal já não lhe interessava!
Por momentos até me assustei, só de pensar que a miúda já andava interessada em sadomasoquismo, sexo à bruta, o que lhe quiserem chamar. Já não é nenhum bebé, mas calma, ainda não estou preparada para isto!

[O engraçado é que me calham sempre a mim este tipo de questões. Tinha ela uns 10 anos e tive de lhe explicar que um preservativo " é tipo uma luva de látex, daquelas que enchemos de ar e parecem tetas de vaca, mas só com um dedo".]


19
Fev15

Quem espera desespera

ana

Ando aqui à espera de uma coisa. Chamo-lhe "A última oportunidade". E é-o.
Estou cansada de esperar, de ter a vida parada. A esperança, por vezes, é a nossa maior inimiga e eu tenho de deixar umas coisas para trás, por muito que isso me custe, e avançar.
Tenho de deixar de alimentar o sonho. A verdade é que nem todos os sonhos são concretizaveis. Ou melhor, tudo tem um tempo para se realizar e talvez não seja agora o momento.
Aquela história de dar dois passos atrás, para depois podermos dar uns tantos em frente, é bem capaz de ser verdade.
E, muito sinceramente, acho que está na altura de me conformar e recuar um bocado. Ao longe, vemos sempre melhor o todo!


Pág. 1/3