Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um quarto para duas

Um blog, duas raparigas, um amor.

Um quarto para duas

Um blog, duas raparigas, um amor.

31
Mai16

Comida do bem, que sabe mal

ana

Acabei de largar 35€ no Celeiro, a loja e não o sítio onde se guarda a palha, porque ando a seguir o snap do Dr. Barakat e ele está a dar-me a volta à mioleira. 

Tive uma epifania e agora quero ser saudável. 

Não obssecivamente saudável, mas saudável. Tipo cortar mesmo com a lactose porque é uma merda que me faz sentir mesmo mal, inchada e mal disposta. Ou não me entupir de açúcar, por exemplo. 

A questão é, começou tudo mal. Comprei umas barras raw, a primeira que comi sabia a mofo. Uma treta qualquer com sementes de chia e uma alga qualquer. 

Não consigo perceber como é que alguém consegue comer aquilo é gostar. É impossível. Como ir ao ginásio e gostar. É de loucos!

Eu tento, juro que tento, mas isto do saudável não é fácil. 

 

[Agora a sério, vou mesmo fazer algumas mudanças. O meu sistema imunitário está um Cocó. Curo uma doença, aparece-me outra, ando a tomar antibióticos há meses. Isto está mesmo a precisar de um empurrãozinho.]

 

28
Mai16

Sofro muito dos nervos

ana

Eu era, ainda sou vá, a maior fã do instagram. É a minha rede social preferida de todo o sempre, a que acho mais "pacífica", a mais bonita. 

Mas desde que fizeram a porcaria das alterações ridículas, desde que as publicações não aparecem cronologicamente, mas sim aleatoriamente, a coisa perdeu metade da piada. 

Primeiro, porque só me aparecem publicações de merda, tipo de famosos e afins. Era raro ver publicações desse género, passavam completamente despercebidas no meio de tantas outras, agora é o feed cheio delas. Já tive de deixar de seguir alguns tal era o abuso de publicações . 

Depois, é a publicidade. Oh coisa chata. Iogurtes da Activia, fraldas para bebés... só porcaria. 

Por fim, acho sempre que estou a perder grandes publicações de perfis que realmente gosto. Gente com "olho" para a fotografia, gente criativa, gente que dá gosto seguir. Eu sei que eles continuam lá, mas se publicam uma foto às 15h, é a essa hora que quero vê-la e não 20 horas depois. 

Conseguem sempre estragar aquilo que é  bom, coisa impressionante! 

Eu vou continuando por lá, como disse, é mesmo a minha rede social de eleição, mas já não é a mesma coisa, infelizmente.

 

24
Mai16

Já não tenho corpo para tanta doença

ana

Comprei uma pulseira daquela do "mau olhado"! 

Sim, gozem. Mas se tivessem ido parar à urgência, na sexta-feira, por causa de uma puta de uma infecção urinária que teimava em não passar e me dava as dores mais horríveis do mundo nos rins, se depois, no domingo, tivessem de voltar à urgência, desta vez com uma merda de um vírus que insiste em "comer" os vossos nervos, metaforica e literalmente, também faziam o mesmo. 

Já larguei quase 100€ em medicamentos. Alimento-me de comprimidos, são uns 10 por dia, nem a minha avó toma tanto. 

A sério, já me estou a cagar para a ciência. Isto é algo de outro mundo, uma merda de uma bruxaria qualquer, um feitiço, uma filha da putice! 

Se a pulseira não me salvar, vou adotar medidas mais drásticas, macumbas e afins!

 

 

19
Mai16

Sofro muito dos nervos

ana

Parem de chamar parceiro ao gajo com quem namoram ou estão casadas. Existem as palavras namorado e marido, usem-nas. 

Quando me vêm com a conversa de a "tua parceira" (sim, quando o casal é homossexual a palavra é quase sempre esta) até fico verde. É minha namorada, porra. 

Parceiros servem para jogar à sueca, ou para cometer crimes.

 

16
Mai16

Acho que não preciso de vir cá esta semana

ana

É que não consigo acompanhar os acontecimentos dos últimos dias. 

Não tenho nada a dizer sobre barrigas de aluguer , normalmente não consigo opinar sobre merdas que não me dizem respeito, é -me completamente indiferente que alguém recorra à barriga de outra mulher para ter um filho, não quero mesmo saber, cada qual sabe si. 

Não sou do Benfica , nem do Sporting, nem de porra nenhuma. Aliás, gosto tanto de futebol como de levar porrada. 

Não vi os Globos de Ouro, graças a deus. Já sei que a Inês castelo branco não se riu quando entregou o prémio aos dama e até me parece normal. A Bárbara  deve ter feito o papel de sempre, que nunca é bom. E os vestidos devem ter sido a mesma parolice de sempre. Novidades, acho que não há. 

Já sei que hoje metade da blogosfera vai falar de violência no namoro, contar que também já foram vítimas e que foi tudo muito triste. 

Deve ser isto. E pronto, fotos de gatos e cães em cima de bancadas da cozinha, fotos depois da corrida, abacates com ovos e maquilhagem de supermercado. O costume. 

 

 

13
Mai16

Uma pequena história

ana

Andava eu no infantário, ah esperem enganei-me, andava eu na faculdade quando, uma vez, um grupo de gente sem interesse nenhum decidiu usar a minha orientação sexual para me atacar. Nada de insultos directos à minha pessoa, mas aquelas boquinhas entre si, tipo "ahaha a fufa isto, a fufa aquilo". 

Sabem, aquele tipo de pessoas que dizem, cheios de orgulho, "ah eu não tenho nada contra homossexuais", mas que não perdem uma oportunidade de referir a orientação sexual de alguém numa conversa, de a usar para fazer uma piada, de a usarem como se de um defeito se tratasse.

Uau. Ser homossexual é mesmo um problema do caralho, um trunfo para ser usado quando se quer atacar alguém, aquela coisa que caracteriza uma pessoa, de forma pejorativa, claro. 

Voltando à história. Na altura fiquei muito fodida. Aquilo caiu-me mal. Podiam ter usado mil e uma coisas para me atacar, para me espicaçar e foram logo pegar na porcaria da homossexualidade. É que eu nem sequer sou assim tão bonita, na altura até usava aparelho e óculos. Tanta merda por onde escolher.

Depois, percebi que as únicas pessoas que se deviam sentir incomodadas eram elas próprias. Os tristes eram eles. Cabecinhas cheias de merda, de preconceito. Gente com falta de tomates, que andava entre risinhos, às escondidas, a chamar fufa a uma pessoa. Oh corajosos. O que eu gostava era que tivessem tido coragem de me chamar isso cara a cara. De fazerem as piadinhas à minha frente. Isso sim, isso é que era ser valente! 

E agora vocês perguntam, "oh mulher, porque raio te lembraste dessa merda agora?" 

Então, porque isto é a história da minha vida. Porque, tal como aqueles acéfalos na faculdade, ainda há gente que usa a porra da minha orientação sexual como arma de arremesso, na triste expectativa de me chatear, de picar um bocadinho. Gente de merda, bem sei. Gente que me passa completamente ao lado, gente de quem tenho pena e algum nojo. E não, não me metem nojo pelas piadinhas em si, felizmente estou muito bem resolvida comigo, ser lésbica  não me incomoda nem um bocadinho, metem-me nojo porque, tal como os outros da história, não têm a puta da coragem de vir aqui chamar-te fufa. 

E já agora, para a próxima vez que me quiserem mandar uma boquinha usem algo mais inteligente, usar a homossexualidade de alguém para isso só mostra o quão estúpidos vocês são. 

Ah, e outra coisa. A mim as piadinhas não me incomodam mas, infelizmente, o que não falta por aí é gente que sente um terrível complexo de inferioridade por ser homossexual. Essa gente pode ser um filho vosso, por exemplo. Um filho que vos ouve fazer esses comentários e que morre um bocadinho sempre que vocês abrem a boca, que chora às escondidas porque acha que vocês nunca o irão aceitar tal como ele é e que dá voltas e voltas à cabecinha e vive angustiado por ter uma merda de pais como vocês, que incentivam e alimentam a discriminação sexual. Pensem nisto, está bem?

 

11
Mai16

Coisas minhas, constatações, dúvidas e tal

ana

A minha namorada diz que sou insensível porque vou emigrar e estou super relaxada por deixar cá os amigos. 

Sabem, eu já fui tanta vez, já deixei tudo tanta vez, que já estou habituada. 

Já tive de recomeçar do zero, sozinha, so eu e uma mala tanta vez, que agora, como vou na companhia de alguém que amo, até me parece o paraíso. 

Já fui sem nada, já deixei muito mais do que levei. 

Ir faz-nos sempre ganhar mais do que perder. 

Talvez seja mesmo uma insensível de merda, mas tenho tanta coisa que me preocupa realmente, que isto para mim não é  nada. 

 

10
Mai16

Sofro muito dos nervos

ana

Se há espécie que me tira do sério é o "chico-esperto". 

Puta que pariu todos aqueles que ultrapassam pela direita, que tentam passar à frente na fila do supermercado, que roubam o lugar no estacionamento, que fogem aos impostos... 

São uns heróis, acham eles. Mais espertos do que qualquer um.

Ser civilizado, o que é isso? Para quê?

Os outros é que são todos uns totós, andam ali a cumprir regras e a respeitar a malta. Que perda de tempo. 

A sério, havia de lhes dar uma porra de um desarranjo intestinal sempre que usam o seu chicoespertismo, mas uma coisa a sério, em grande, que os deixasse de cama uma semana. 

 

Pág. 1/2